Tag: suicídio

setembro 29, 2017

Já está no ar o primeiro vídeo do canal da Clínica Fênix, que trará temas relacionados à saúde mental e à construção de uma melhor qualidade de vida! Em alusão ao Setembro Amarelo, o primeiro assunto abordado é ‘suicídio’, que reforça a importância do diálogo. O tema é abordado pela psiquiatra da Clínica, Patrícia Lemos e Joaquim Moura, psicólogo.

Não esqueça de se inscrever em nosso canal e compartilhe com seus amigos e familiares.

Clique aqui para assistir o video!

1 julho 21, 2017

No dia 20/07/2017 mais um ídolo foi “encontrado morto”. Dessa vez, o cantor Chester Bennington da banda americana Linkin Park deixou parentes, amigos e uma legião de fãs chocados com essa notícia. Aqui, no Brasil, temos vários artistas que cometeram suicídio e um número alarmante de pessoas que não são famosas que cometem todos os dias. Por que as pessoas ainda tem dificuldade de falar sobre esse assunto?

Os números oficiais mostram que 32 brasileiros morrem por dia vítimas do suicídio, matando mais do que a Aids e alguns tipos de câncer. São números epidêmicos. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo e mesmo com esse dado alarmante apenas 28 países incluíram em suas prioridades de saúde uma estratégia nacional para diminuir esses índices.

Ilusoriamente as pessoas acreditam que sucesso, fama e dinheiro trazem a felicidade, porém não levam em consideração que os transtornos mentais são doenças que podem acontecer com qualquer pessoa independente das suas condições. Às vezes a fama e o dinheiro podem, inclusive, estimular um vazio. Se internamente a pessoa não consegue lidar com seus traumas e com suas questões internas, ela corre o risco de adoecer psiquicamente.

Segundo o próprio cantor em uma entrevista para a revista Ke

maio 5, 2017

Implicação

Lado A: 13 reasons why – Entenda porque você é o 14º motivo

 

No dia 31 de março de 2017 o Netflix lançou o seriado 13 reasons why (13 razões porque) onde uma garota que sofre vários tipos de violência acaba por cometer suicídio e justifica o seu ato através de gravações de áudio onde implica algumas pessoas de seu ciclo de convivência.

Pode-se observar que por conta dos consecutivos traumas, a personagem inicia um processo depressivo, com o humor rebaixado e uma falta de esperança típica dos suicidas. Por algumas vezes ela tenta pedir ajuda, porém as pessoas não a enxergam. Ela começa a se sentir cada vez mais vazia, mais invisível, até que desaparece por completo. Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) uma pessoa se suicida a cada 40 segundos no mundo e em 98% dos casos essa pessoa apresentou algum tipo de transtorno mental.

O bullying é um tipo de violência que tem sido muito discutido, principalmente depois do massacre de Columbine onde dois rapazes que já foram vitimas de bullying por serem superdotados entraram armados em uma escola e promoveram uma chacina e depois se mataram. Imaginem como a violência psicológica pode mexer com a saúde mental de alguém.

E onde você tem cu

fevereiro 2, 2017

por Joaquim Moura – Psicólogo, especialista em saúde mental 

Atualmente muitos estudos sobre a correlação entre o trabalho e a saúde mental do indivíduo estão sendo feitos. Sabe-se que um ambiente estressante, opressor, que desvaloriza o funcionário e/ou que afetam sua segurança e liberdade pode estimular o desenvolvimento de um transtorno mental.

Na atualidade com os avanços sociais, tecnológicos e econômicos, emergiu também a criminalidade que tem aumentado a números assustadores. Por conta disso os policiais se sentem na obrigação de trabalhar até fora do horário de serviço, colocando a si e seus familiares em situações estressantes e perigosas.

A profissão de policial, conforme dados da Organização Mundial de Saúde e citado por Zanelli (2010), é uma das profissões mais estressantes do mundo, o que possibilita uma maior fragilidade mental aos seus profissionais. O contato com acidentes graves, mortes, ameaças a integridade física, o regime opressor e as situações de risco são apenas alguns exemplos do tipo de contexto que o policial militar esta inserido.

“Os policiais sofrem influências de vários fatores negativos que geram estresse extremo. O cansaço físico e a falta de equilíbrio emocional podem levar estes profissionais a assumirem atitudes irracionais durante crises e situa

janeiro 23, 2017

O Departamento de Promoção Social (DPS) da Policia Militar da Bahia promoveu o III Encontro de psicologia da PMBA com o tema “o caminhar da psicologia na saúde pública”. Preocupados com a saúde mental dos policiais militares da Bahia, o Comandante Geral da PMBA o Cel PM Anselmo Brandão e o Diretor do DPS Cel PM Jorge Diniz, requisitaram esse evento para o Diretor Adjunto do DPS Major Honorato que, por ser psicólogo e trabalhar diretamente com a Saúde Mental dos policiais, teve a sensibilidade de organizar um evento que pode contribuir com a promoção de saúde e prevenção do adoecimento mental. A mesa foi composta pelo psicólogo e diretor técnico da Clínica Fenix Joaquim Moura, a psicóloga Soraya Carvalho que é coordenadora do Núcleo de estudos de prevenção ao suicídio e do Centro antiveneno da Bahia, o Major Honorato, psicólogo, diretor adjunto do DPS e um dos organizadores do evento e o Sgt Robson Souza que é psicólogo do DPS. Foi discutido sobre a questão do suicídio e o porquê isso está afetando tanto os policiais militares, discutiram temas relevantes sobre saúde mental e qualidade de vida e no fim foi aberto a perguntas onde todos os policiais presentes puderam ter suas duvidas respondidas. O evento foi finalizado com um discurso emocionante do Diretor do DPS Cel PM Jorge Diniz.

Esse evento foi um grande passo para todos os cid